Indice del artículo
Jornalismo de bolso: a produção de notícias para a blogosfera a partir de telefones móveis
Introdução
2. Reflexões sobre a blogosfera
3. Jornalismo Transmídia
O blog e as transnotícias
5. Considerações
BIBLIOGRAFÍA
Todas las páginas

3. Jornalismo Transmídia

Esta pesquisa possibilitou a experimentação de uma nova linguagem jornalística que está por surgir, ou por consolidar-se nas redações: o Jornalismo Transmídia, fusão da terminologia apresentada por Henry Jenkins com a prática jornalística.
O Jornalismo Transmídia vem a ser uma forma de linguagem jornalística que contempla ao mesmo tempo diversas mídias, com diversas linguagens e narrativas a partir de diversos meios e para distintos usuários, graças à interatividade na recepção da mensagem. Para tanto, são adotados recursos audiovisuais, de mobilidade e interativos e sua difusão a partir de mídias diversas, como blogs e redes sociais. Para este experimento, foi adotado um diferencial tecnológico que amplia a ação do jornalista, além de reduzir o tempo desde a apuração e o registro do fato até sua difusão: a telefonia móvel. Porém, para a sua produção, é necessário que o jornalista possua conhecimento de tecnologia multimídia e de linguagem interativa, utilizada na construção da narrativa da notícia.
O diferencial do Jornalismo Transmídia é que com essa narrativa é possível aproveitar as possibilidades comunicacionais presentes na sociedade pós-moderna, onde a mobilidade e a liquidez de estruturas, ou seja, a interatividade, assumem papéis importantes no campo da comunicação, como o de envolver e atrair o receptor para a interpretação participativa da mensagem.
Esta terminologia vem a complementar o conceito de narrativa transmídia, difundido por Jenkins (2009) e adotada por diversas linhas de pesquisa sobre comunicação, atualmente. Contudo, tal proposta enfrenta dificuldades consideráveis, pois envolve limitações tecnológicas e também de arquitetura da informação, quando se pretende desenvolver narrativas interativas.
Para tanto, é fundamental imaginar uma roteirização da notícia, desenvolvida a partir de um texto. Contudo, o texto serve como base para uma leitura projetada com o auxílio de um fluxograma algorítmico circular rizomático (cf. Figura 1), que segue o conceito de rizoma defendido por Deleuze. (RENÓ, 2010).


Figura 1 – Fluxograma Algorítmico Circular Rizomatico

Nesta estrutura, é possível e viável a ligação narrativa entre todos os fragmentos comunicacionais (vídeo, foto, link externo) presentes no texto base. Dessa forma, a navegabilidade é oferecida para o receptor, que se transforma em coautor da construção narrativa.